Oração para a mãe

videncia-gratuita

Esta oração para a mãe destina-se a pedir proteção à Nossa Senhora, Virgem Maria, Mãe Celestial de todos nós pecadores, para obter ajuda nos problemas familiares, para obter paz e harmonia em casa, homenagear, pacificar e adoçar o coração das mães.

“Pai, tu, sendo Deus, quiseste revelar;

Entre nós tua face materna…

Por isso criaste todas as mães;

Peço-te por minha mãe;

Sinal concreto e visível de teu amor entre nós;

Multiplicai seus dias em nosso meio!

Acompanha-a em todo riso;

E em toda lágrima;

Todo trabalho e toda prece;

Todo dia e toda noite!

Que tua bênção cubra de luz;

a vida de minha mãe para que;

Inundada de ti, ela seja sempre mais e melhor;

Que a Virgem Maria, a Sagrada Mãe de Jesus Cristo, interceda por mim;

Presença do divino em minha vida. Amém!”

Nota: essa oração pode servir para pedir para a Nossa Senhora, ou Virgem Maria, promover a paz, a harmonia e a união em sua família. Se você quer homenagear sua mãe, ou amansar e acalmar sua mãe, ou para acalmar sogra brava, embirrenta, chata, implicativa que vive pegando em seu pé, intrometida, enxerida (que também é mãe), essa é a oração ideal para si. Se você costuma discutir em casa porque sua mãe não a deixa sair com as amigas, os amigos ou o namorado, então você deve parar de brigar e rezar essa oração ou fazer essa prece para adoçar o coração de sua mãe ou da mãe de outras pessoas, como por exemplo de sua sogra, mãe de seu marido ou namorado, pois Nossa Senhora também é mãe e tem um coração muito doce e puro que pode proteger você com o seu amor eterno. Não se esqueça de ser um bom filho ou boa filha para que sua mamãe, nunca perca a confiança em você, assim poderá evitar brigas e conflitos. Seja tolerante, procure o dialogo, converse sempre com sua mãe explicando o porque de suas ações, nunca deve gritar ou discutir alto e tão pouco brigar com sua mãe. Muitas vezes as mães não aceitam o comportamento de suas filhas e filhos, porque desconhecem suas vidas e razões de suas decisões, por isso ficam com medo do que seus filhos podem fazer e ficam desconfiadas e preocupadas e quando os filhos pedem permissão para fazer alguma coisa recebem sempre “nãos”. Procure explicar a sua mãe que você é nova, mas que não é inocente e estúpida, nem burra e já não é mais uma criança de colo. Explique que você precisa viver sua vida e ter seu espaço e felicidade, sem que isso signifique ter que não gostar de sua mãe e pai. As filhas arrumarem um namorado é normal, assim como os filhos terem em suas vidas uma namorada, é certo que muitos pais e mães tem ciúmes e receio dos namorados e namoradas dos filhos e quando estes ficam com o seu relacionamento abençoado por Deus pelos sagrados votos do casamento, continuam transportando esses medos e ciúmes para com as noras e os genros, que muitas vezes geram mau ambiente no relacionamento amoroso do casal. Algumas sogras e mesmo sogros influenciam negativamente seus filhos contra seus namorados, namoradas, maridos e mulheres, chegando a manipular os seus irmãos e irmãs, aparecendo muitas vezes o cunhado e a cunhada a destabilizar a relação juntamente com o sogro e, ou a sogra. Se sua mãe, ou a mãe de seu namorado ou namorada, a sogra, não aceitarem seu namoro ou matrimónio, deve fazer esta oração de preferência numa igreja junto à imagem da santíssima Virgem Maria.

Uma simpatia simples que pode fazer juntamente com esta oração mariana, é a simpatia da imagem da Virgem Maria. Esta simpatia é fácil de fazer e consiste em dar uma imagem nova da Nossa Senhora à mãe que queremos acalmar ou que queremos aceite melhor a nossa presença e para poderem passar a gostar da nora. Para fazer esta simpatia de adoçamento de mãe ou sogra (mãe do seu namorado ou marido) deve dar uma imagem da Mãe de Jesus Cristo à mãe que quer adoçar ou conquistar seu coração, compaixão, suas simpatias, estima e amor. Esta imagem deve ter estado perto do seu coração durante a reza de 7 Ave Marias e um Pai Nosso em frente de uma imagem da Virgem Maria numa igreja. Se fez algo mesmo de grave para com a sua mãe, deve a levar consigo numa igreja e rezarem as duas à Virgem Maria, aproveite estar na casa de Deus para pedir perdão para sua mãe diante da imagem da Virgem Maria. Só deve fazer isto se estiver verdadeiramente arrependida do que fez de mau para si, sua família, ou sua mãe.

Esta oração não é apenas para o dia das mães. Aliás, o dia da mãe devia ser todo o dia. Por isso, reze essa oração sempre que precisar de alívio, de proteção, de alimentar sua fé, de fazer as pazes ou se reconciliar com sua mãe, para pedir perdão a sua mãe ou para promover a paz e harmonia em sua casa ou em sua família.

História da celebração do dia da mãe

O dia da mãe costuma se celebrar em Maio e a um Domingo. A mitologia grega já mencionava o culto da fertilidade na Primavera e associado às mães. Quando os gregos entravam na Primavera faziam o culto de Rhea, a qual era considerada a mãe dos deuses. Mais tarde, no século dezassete os ingleses começaram a tradição de homenagear as mães das operárias inglesas no quarto Domingo da Quaresma, cedendo uma folga às operárias para que estas pudessem passar esse dia com suas mães. Ficou conhecido como o “Mothering Day”. Depois começou a ser produzido um bolo dedicado às mães, “o mothering cake”, que serviu para celebrar o dia das mães.

Contudo, há uma versão segundo a qual o dia da mãe teria começado a ser oficialmente celebrado no início do século vinte. Nessa época o dia das mães teria sido criado por umas amigas de Anna Jarvis, uma jovem norte-americana que sofreu uma grande depressão após a morte de sua mãe. Assim, as amigas da jovem fizeram uma festa para homenagear a memória daquela mãe que havia falecido e deixado sua filha muito triste. Mas a filha Annie teve a ideia de espalhar essa celebração a todas as mães do mundo, quer elas fossem vivas ou falecidas, presentes ou ausentes. A moda pegou e essa celebração se propagou pelos E.U.A. No ano de 1914 a data de celebração do dia das mães foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson para dia 9 de Maio. Mas consta que nos Estados Unidos, a escritora Júlia Ward Howe, a autora do livro O Hino de Batalha da República, foi, em 1872, uma das primeiras a sugerir que se implementasse uma data dedicada às mães.

Em Portugal há a tradição de comemorar o dia da mãe no primeiro Domingo do mês de Maio. No Brasil, o presidente Getúlio Vargas estipulou, em 1932, que o dia das mães fosse comemorado no segundo domingo de Maio. Mais tarde, em 1947, essa data foi acrescentada ao calendário da Igreja Católica por D. Jaime de Barros Câmara, um Arcebispo do Rio de Janeiro. Em Israel o Dia da Familia, celebrado em Fevereiro, substituiu o Dia da Mãe.

Oração do Credo

Seguem-se diversas versões da Oração do Credo. Diria mesmo que não existe só um credo, mas diversos, mas na sua essência traduzem-se em apenas um que é a afirmação da fé na Santíssima Trindade (Pai, o Filho e o Espírito Santo) por parte do crente. O credo é uma profissão de fé. No Cristianismo, também é conhecido como símbolo dos apóstolos. Tendo a palavra origem no vocábulo credo que significa creio.

 

Credo Católico:

Creio em um só Deus Pai Todo Poderoso, Criador do céu e da terra de todas as coisas visíveis e invisíveis, e em Jesus Cristo, Seu único filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia de entre os mortos, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo Poderoso, de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na Comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.

 

Oração do Credo Católico segunda Versão:

Creio em um só Deus
Pai todo-poderoso,
criador do céu e da terra
de todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos;
Deus de Deus,
Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado,
consubstancial ao Pai.

Por ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa
salvação, desceu dos céus
e se encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob
Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.

Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras,
e subiu aos céus,
onde está sentado à direita do Pai.

E de novo há de vir, em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o seu reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo,
Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele falou pelos profetas.

Creio na Igreja,
una, santa, católica e apóstolica.
Professo um só batismo
para a remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos
e vida do mundo que há de vir.
Amém.

 

 Credo dos Apóstolos (credo apostólico), às vezes chamado de Símbolo dos Apóstolos:

1. Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra;
2. e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor,
3. que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da virgem Maria;
4. padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado;
5. desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia;
6. subiu aos Céus; está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso,
7. de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
8. Creio no Espírito Santo,
9. na Santa Igreja católica, na comunhão dos Santos,
10. na remissão dos pecados,
11. na ressurreição da carne,
12. na vida eterna.
Amém.

 

Nota:

Segundo uma antiga tradição, os doze apóstolos, reunidos em Jerusalém, teriam estabelecido em comum os rudimentos da nova fé cristã, tendo cada um ditado o seu artigo, daí este credo ter 12 artigos. Essa versão era recitada pelos novos cristãos no momento do seu batismo, ficando conhecida como o credo apostólico.

 

Credo dos Apóstolos (credo apostólico), também às vezes chamado de Símbolo dos Apóstolos, em latim:

Credo in Deum Patrem omnipotentem, Creatorem caeli et terrae, et in Iesum Christum, Filium Eius unicum, Dominum nostrum,
qui conceptus est de Spiritu Sancto, natus ex Maria Virgine,
passus sub Pontio Pilato, crucifixus, mortuus, et sepultus,
descendit ad ínferos, tertia die resurrexit a mortuis,
ascendit ad caelos, sedet ad dexteram Dei Patris omnipotentis,
inde venturus est iudicare vivos et mortuos.
Credo in Spiritum Sanctum,
sanctam Ecclesiam catholicam, sanctorum communionem,
remissionem peccatorum,
carnis resurrectionem,
vitam aeternam.
Amen.

 

Credo Apostólico Ecumênico (por ser usado por crentes evangélicos):
Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, criador do Céu e da Terra. E em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo. Nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos. Ressuscitou ao terceiro dia. Subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há-de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Universal (ou diga o nome da igreja que frequenta), na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressureição do corpo e na vida eterna. Amém.

 

Credo de Niceno Constantinopolitano (credo de Niceia):
Cremos em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Cremos em um só Senhor: Jesus Cristo, Filho unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não feito; consubstancial com o Pai, por quem todas as coisas foram feitas; que, por nós e por nossa salvação, desceu dos céus, e se encarnou, por obra do Espírito Santo, da virgem Maria, e se fez homem. Foi tambem crucificado, sob o poder de Pôncio Pilatos, padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e subiu aos céus, e está sentado à direita do Pai. Virá outra vez com glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu Reino não terá fim.
Cremos no Espírito Santo, o Senhor que dá vida, e procede do Pai e do Filho; que, com o Pai e o Filho, é juntamente adorado e glorificado; Ele, que falou pelos profetas.
E cremos na Igreja una, santa, universal e apostólica. Reconhecemos um só Batismo para remissão dos pecados. E esperamos a ressureição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

Nota:

O Credo Credo Niceno-Constantinopolitano ou Símbolo Niceno-Constantinopolitano, é uma declaração de fé cristã que é aceite pelas Igrejas: Igreja Católica, pela Igreja Ortodoxa, pela Igreja Anglicana e pelas principais igrejas protestantes (como por exemplo a Igreja Presbiteriana).

 

Credo em Latim:

Credo in unum Deum,
Patrem omnipoténtem,
Factórem cæli et terræ,
Visibílium ómnium et invisibílium.
Et in unum Dóminum Iesum Christum,
Fílium Dei Unigénitum,
Et ex Patre natum ante ómnia sæcula.
Deum de Deo, lumen de lúmine, Deum verum de Deo vero,
Génitum, non factum, consubstantiálem Patri:
Per quem ómnia facta sunt.
Qui propter nos hómines et propter nostram salútem
Descéndit de cælis.
Et incarnátus est de Spíritu Sancto
Ex María Vírgine, et homo factus est.
Crucifíxus étiam pro nobis sub Póntio Piláto;
Passus, et sepúltus est,
Et resurréxit tértia die, secúndum Scriptúras,
Et ascéndit in cælum, sedet ad déxteram Patris.
Et íterum ventúrus est cum glória,
Iudicáre vivos et mórtuos,
Cuius regni non erit finis.
Et in Spíritum Sanctum, Dóminum et vivificántem:
Qui ex Patre Filióque procédit.
Qui cum Patre et Fílio simul adorátur et conglorificátur:
Qui locútus est per prophétas.
Et unam, sanctam, cathólicam et apostólicam Ecclésiam.
Confíteor unum baptísma in remissiónem peccatorum.
Et expecto resurrectionem mortuorum,
Et vitam ventúri sæculi. Amen.

 

Credo em Grego:

Πιστεύω είς ενα Θεόν, Πατέρα, παντοκράτορα, ποιητήν ουρανού καί γής, ορατών τε πάντων καί αοράτων. Καί είς ενα Κύριον, Ίησούν Χριστόν, τόν Υιόν του Θεού τόν μονογενή, τόν εκ του Πατρός γεννηθέντα πρό πάντων τών αιώνων. Φώς εκ φωτός, Θεόν αληθινόν εκ Θεού αληθινού γεννηθέντα, ού ποιηθέντα, ομοούσιον τώ Πατρί, ού δι ‘τά πάντα εγένετο. Ημάς τούς ανθρώπους καί διά τήν ημετέραν σωτηρίαν κατελθόντα εκ τών ουρανών καί σαρκωθέντα εκ Πνεύματος ‘Αγίου Τόν δι’ καί Μαρίας τής Παρθένου καί ενανθρωπήσαντα. Επί Ποντίου Πιλάτου καί παθόντα καί Σταυρωθέντα τε υπέρ ημών ταφέντα. Καί αναστάντα τή τρίτη ημέρα κατά τάς Γραφάς. Καί ανελθόντα είς τούς ουρανούς καί καθεζόμενον εκ δεξιών τού Πατρός. Καί πάλιν ερχόμενον μετά δόξης κρίναι ζώντας καί νεκρούς, ού τής βασιλείας ουκ εσται τέλος. Καί είς τό Πνεύμα τό ¨ Αγιον, τό Κύριον, τό ζωοποιόν, τό εκ τού Πατρός εκπορευόμενον, τό σύν Πατρί καί Υιώ συμπροσκυνούμενον καί συνδοξαζόμενον, τό λαλήσαν διά τών Προφητών. Είς μίαν, αγίαν, καθολικήν καί αποστολικήν Έκκλησίαν. ‘Ομολογώ εν βάπτισμα είς άφεσιν αμαρτιών. Προσδοκώ ανάστασιν νεκρών. Καί ζωήν τού μέλλοντος αιώνος. Άμήν.

 

Credo dos primeiros concílios de Nicéia e Constantinopla (versão antiga):
Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, Luz da luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não feito, da mesma substância do Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E, por nós, homens, e para a nossa salvação, desceu dos céus:
Se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras;
E subiu aos céus, onde está assentado à direita de Deus Pai.
Donde há de vir, em glória, para julgar os vivos e os mortos; e o Seu reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que procede do Pai (e do Filho); e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele falou pelos profetas.
Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Confesso um só batismo para remissão dos pecados.
Espero a ressurreição dos mortos; E a vida do mundo vindouro.
Amém.

 

Credo (católico) aprovado pela Conferência Episcopal Portuguesa:
Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra,
De todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigénito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, luz da luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa salvação
desceu dos Céus.
E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria.
e se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai.
De novo há-de vir em sua glória
para julgar os vivos e os mortos;
e o seu Reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos Profetas.
Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica.
Professo um só baptismo para a remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos
e vida do mundo que há-de vir. Amen.

 

Credo antigo (presente em diversas cartas e atas muito antigas):

 “Cremos em um só Deus, Pai Todo-Poderoso,
criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis.
E em um só Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, unigênito do Pai, da substância do Pai;
Deus de Deus, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro,
gerado, não criado, consubstancial ao Pai; por quem foram criadas todas as coisas que estão no céu ou na terra.
O qual por nós homens e para nossa salvação, desceu (do céu), se encarnou e se fez homem.
Padeceu e ao terceiro dia ressuscitou e subiu ao céu.
Ele virá novamente para julgar os vivos e os mortos.
E (cremos) no Espírito Santo.
E quem quer que diga que houve um tempo em que o Filho de Deus não existia, ou que antes que fosse gerado ele não existia, ou que ele foi criado daquilo que não existia, ou que ele é de uma substância ou essência diferente (do Pai), ou que ele é uma criatura, ou sujeito à mudança ou transformação, todos os que falem assim, são anatemizados pela Igreja Católica e Apostólica.”

Nota:

Este credo está presente em diversas cartas e atas: Atas dos Concílios Ecumênicos de Éfeso e Calcedônia, na Carta de Eusébio de Cesareia à sua própria igreja, na Carta de Santo Atanásio ao Imperador Joviniano, nas Histórias Eclesiásticas de Teodoreto e Sócrates, é clara a possibilidade de existirem diversas variações deste credo devido a existirem diversas traduções do mesmo.

 

Credo de “Atanásio”:
Este Credo foi elaborado no Século IX e por isso apesar de ter o seu nome não foi escrito por Atanásio (falecido em 373); é também chamado “Quicumque” (Quicumque vult salvus esse).

Todo o que se quiser salvar,
deve mais do que tudo ter a fé católica.
Aquele que não a guardar pura e inteira,
de certo perecerá eternamente.

A fé católica, pois, é esta:

Adoramos um Deus em Trindade e a Trindade em Unidade.
Sem confundirmos as Pessoas ou dividir a substância.
Porque uma é a Pessoa do Pai,
outra a do Filho, outra a do Espírito Santo.
Mas o Pai, o Filho e o Espírito Santo têm uma só divindade,
Glória igual e co-eterna Majestade.
O que o Pai é, tal é o Filho e tal o Espírito Santo.
O Pai é increado, o Filho é increado e o Espírito Santo é increado.
O Pai é imenso, o Filho é imenso e o Espírito Santo é imenso.
O Pai é eterno, o Filho é eterno e o Espírito Santo é eterno.

No entanto não são três eternos, mas Um.
Bem como não há três imensos, nem três increados,
mas Um Increado e Um Imenso.
Semelhantemente o Pai é Omnipotente, o Filho Omnipotente
e o Espírito Santo Omnipotente.
E contudo não são três Omnipotentes, mas um Omnipotente.
Assim também o Pai é Deus,
o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus.
Do mesmo modo o Pai é Senhor,
o Filho é Senhor e o Espírito Santo é Senhor.
E apesar disso, não são três Senhores,
mas Um só Senhor.

Porque, como a verdade cristã nos obriga a confessar
que cada uma das Pessoas por si só é Deus e Senhor,
assim a religião católica proíbe-nos dizer
que há três Deuses ou três Senhores.

O Pai não foi feito por ninguém,
nem foi criado, nem gerado.
O Filho é do Pai somente;
não foi feito, nem foi criado, mas gerado.
O Espírito Santo é do Pai e do Filho;
não foi criado, nem gerado,
mas, deles procede.
Há, pois, um só Pai, e não três Pais;
um só Filho, e não três Filhos;
um só Espírito Santo, e não três Espíritos Santos.

E nesta Trindade não há primeiro nem último;
nem um é maior ou menor do que o outro;
mas as três pessoas são justamente
de uma mesma eternidade e igualdade.
De sorte que no todo como já se disse,
cumpre adorar a Unidade na Trindade
e a Trindade na Unidade.

Aquele, pois, que quiser salvar-se,
deve assim pensar e crer na Trindade.
Além disto é necessário, para alcançar a salvação eterna,
crer fielmente na Incarnação de nosso Senhor Jesus Cristo.

A verdadeira fé, pois, consiste em crermos e confessarmos
que nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, é Deus e Homem:
Deus, gerado do Pai antes do tempo ser tempo;
nascido em seu tempo da substância de sua Mãe.
Deus perfeito, e Homem perfeito:
com alma racional e carne humana.
Ele é igual ao Pai segundo a sua Divindade
e inferior ao Pai segundo a sua Humanidade.
O qual, apesar de ser Deus e Homem, não é dois, mas um só Cristo.
Um, não pela conversão da Divindade em carne,
mas pela assunção da sua Humanidade em Deus.
Ele é inteiramente um, não por mistura de Substâncias,
mas porque é uma só Pessoa.
Porque assim como a alma racional e a carne é um homem:
assim Deus e Homem é um Cristo.
O qual padeceu para nossa salvação,
desceu ao Hades,
ao terceiro dia ressurgiu dos mortos.
Subiu ao Céu e está sentado à mão direita de Deus, Pai Onipotente;
de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
A cuja vinda todos os homens ressuscitarão com os seus corpos
e darão contas das suas próprias obras.
E os que tiverem trabalhado bem, irão para a vida eterna;
e os que mal, para o fogo eterno.

Esta é a fé católica,
na qual o que não crer fielmente,
não poderá salvar-se.

 

Confissão de Esperança (Versão do credo de Ernesto Cardenal):
Cremos em Deus: aos que penavam sob a lei, ele deu amor; aos estrangeiros na terra ele deu um lar; às vítimas dos ladrões ele deu seu auxílio.
Cremos em Jesus Cristo, o Filho de Deus, nosso irmão e Salvador: aos famintos ele deu de comer; aos que viviam no escuro ele deu a luz; aos que estavam na prisão ele deu liberdade.
Cremos no Espírito Santo: aos desesperados ele dá novo ânimo; aos que vivem na mentira ele dá a verdade; aos que experimentam os terrores da morte ele dá esperança de vida.

 

Credo da Mulher (de Rachel C. Wahlberg):

Creio em Deus, que criou a mulher e o homem a sua imagem, que criou o mundo e recomendou aos dois sexos o cuidado da terra.
Creio em Jesus, filho de Deus, eleito de Deus, nascido de uma mulher, Virgem Maria, que escutava as mulheres e as apreciava; que morava em suas casas e falava com elas sobre o Reino; que tinha mulheres discípulas, que o seguiam e o ajudavam com seus bens.
Creio em Jesus, que falou de teologia com uma mulher, junto a um poço, e lhe revelou, pela primeira vez, que ele era o Messias, que a motivou a ir e contar as grandes novas na cidade.
Creio em Jesus, sobre quem uma mulher derramou perfume, em casa de Simão; que repreendeu aos homens convidados que a criticavam.
Creio em Jesus, que disse que essa mulher seria lembrada pelo que havia feito: servir a Jesus.
Creio em Jesus, que curou a uma mulher, no sábado, e lhe restabeleceu a saúde porque era um ser humano.
Creio em Jesus, que comparou Deus com uma mulher que procurava uma moeda perdida, como uma mulher que varria, procurando a sua moeda.
Creio em Jesus, que considerava a gravidez e o nascimento com veneração, não como um castigo, mas como um acontecimento desgarrador, uma metáfora de transformação, um novo nascer da angústia para a alegria.
Creio em Jesus, que se comparou a galinha que abriga os seus pintinhos de baixo de suas asas.
Creio em Jesus, que apareceu primeiro à Maria Madalena, e a enviou a transmitir a assombrosa mensagem “Ide e contai…”.
Creio na universalidade do Salvador, em quem não há judeu nem grego, escravo nem homem livre, homem nem mulher, porque todos somos um na salvação.
Creio no Espírito Santo, que se move sobre as águas da criação e sobre a terra.
Creio no Espírito Santo, o espírito feminino de Deus, que nos criou, e nos fez nascer, e qual uma galinha nos cobre com suas asas.

 

Credo Indonésio:
Creio em Deus, Pai de todos, que deu a terra a todos os povos e a todos ama sem distinção. Creio em Jesus Cristo, que veio para nos dar coragem, para nos curar do pecado e libertar de toda a opressão. Creio no Espírito Santo, Deus vivo que está entre nós e age em todo o homem e em toda a mulher de boa vontade. Creio na Igreja, posta como um farol para todas as nações, e guiada pelo Espírito Santo a servir todos os povos. Creio nos direitos humanos, na solidariedade entre os povos, na força da não-violência. Creio que todos os homens e mulheres são igualmente humanos. Creio que só existe um direito igual para todos os seres humanos, e que eu não sou livre enquanto uma pessoa permanecer escrava. Creio na beleza, na simplicidade, no amor que abre os braços a todos, na paz sobre a terra. Creio, sempre e apesar de tudo, numa nova humanidade e que Deus criará um novo céu e uma nova terra, onde florescerão o amor, a paz e a justiça.

 

Nós Cremos (Versão da oração do credo por Reiner Röhricht):
Cremos em Deus. Não estamos sozinhos. Somos amparados. Somos livres. Cremos no Espírito Divino o Espírito de liberdade, que nos une para a Igreja universal.Cremos em Jesus Cristo, que revela e representa a Deus, que anunciou o Reino da paz e, por amor a nós, morreu. Cremos que Jesus vive. Ele nos livra de culpa de angústia e morte, Ele nos ajuda a viver. Cremos no Deus que cria e preserva o mundo, que quer que cooperemos com ele para o bem do mundo e dos homens.Cremos no Deus vivo, que acaba e renova o mundo, que também guarda a nós e renova-nos para uma vida imperecível.

 

Credo Natalino (deverá ser rezado no Natal):
Cremos que, quando o mundo descobrir o menino que nasceu e crer nele, tudo será maravilhoso. Cremos que o seu amor transforma e renova o mundo. Por isso, queremos agir em justiça e paz, esperança e fé, e sobretudo, em amor.
Cremos que ele nos fortalece para a ação a partir de seu presente de Natal: Jesus. Porque Ele é Deus Forte.
Cremos que ele nos dará a vida eterna, porque é o Pai da Eternidade. Cremos que, nele, teremos paz, porque ele quer a paz e é o Príncipe da Paz. Amém.

 

Nota final:

O leitor poderá rezar a oração do credo que gostar mais. Se tiver dúvidas sobre a qual que gosta mais, reze as versões que gostar versões, pois venerar Deus Seu Filho Jesus e o Espírito Santo nunca é demais, pois Seu amor e alegria são infinitos.

Antiga Oração Druida de Amergrin

Esta oração serve para canalizar as energias para entrarmos em comunhão com a Natureza.

Eu sou o vento que sopra pelos mares,
Eu sou o animal selvagem,
Eu sou a águia no penhasco,
Eu sou rápido como o gavião.
Eu sou o guerreiro de muitas batalhas,
Eu sou forte como uma lança.
Eu sou a ponta de uma espada,
Eu sou a pelo do tambor que conclama à guerra.
Eu sou a corda da harpa,
Eu sou o campeão dos fracos,
Eu sou a vista da montanha mais alta,
Eu sou a sabedoria do poço mais fundo,
Eu sou o vencedor do dia e da noite.

Sempre vivi.
Já fui tudo!

Oração a São João a pedir proteção para um casamento

São João, inspira-nos, nós homens e mulheres, que levamos os títulos de “Maridos” e “Esposas”. Auxilia-nos a contemplar Deus em nós mesmos, que ambos possamos redescobrir a plenitude e o mistério que já sentimos em nossas sagradas uniões.

Permite-nos sermos suficientemente verdadeiros e honestos diante da pergunta:

“Onde estivemos juntos e para onde estamos a ir?”

Permite-nos sermos suficientemente corajosos diante da questão:

“Como temos falhado?”

Permite que cada um de nós seja suficientemente corajoso para dizer:

“Para mim, nós estamos sempre em primeiro lugar”.

Auxilia-nos, para que juntos reexaminamos os seus compromissos sob a luz da verdade e do amor de Deus e tua bênção São João, de boa vontade, abertamente e compassivamente. Que nos ajudai a afastar o ciúme e a tentação da traição de nossa união. E que nos ajude a alcançar o amor terno, duradouro, infinito e eterno. O que Deus uniu o pecado nunca divida. Ámen.

Oração de São Bento (contra espíritos perversos e de proteção contra o inimigo)

Santa Cruz do Santo Pai Bento
A Cruz sagrada seja minha Luz
Não seja o Dragão meu guia
Retira-te Satanás
Nunca me aconselhes coisas vãs
É mal o que tu me ofereces
Bebe tu mesmo do teu veneno

Em latim:

Crux Sancti Patris Benedicti
Crux Sacra Sit Mihi Lux
Non Draco Sit Mihi Dux
Vade Retro Satana
Numquam Suade Mihi Vana
Sunt Mala Quae Libas
Ipse Venena Bibas

Esta oração é tão forte e poderosa contra os espíritos perversos que a Igreja Católica a usa em exorcismos. Para ter mais proteção ainda, deve-se usar uma medalha de São Bento, a qual tem as iniciais desta oração no verso.